Untitled Document
Voltar para a Home...   segunda-feira, 18 de dezembro de 2017
Siga-nos no Twitter...
Voltar para a Home...

Artigos
SEGURANÇA

Não se deixe enganar pela aparência
Nos últimos meses, a modalidade de delito e modus operandi dos bandidos tem crescido na cidade de São Paulo, inclusive com jovens orientais
No mês de janeiro,  foi divulgado pela imprensa que, em 2014 tivemos um número elevado de quadrilhas que têm invadido prédios para assaltar residências de orientais. A notícia foi veiculada da seguinte forma: “Pelo menos 50 apartamentos de coreanos foram alvo de ladrões - Cinquenta apartamentos de proprietários coreanos foram invadidos por ladrões nos últimos meses em oitos bairros de São Paulo, segundo levantamento do Consulado da Coreia. Apenas no Bom Retiro, no Centro, foram pelo menos 9 casos, como mostrou o Bom Dia São Paulo.Em nota, a Secretaria da Segurança informou que desde 2013 registrou 47 casos de roubos e furtos a residências de imigrantes orientais que vivem na capital paulista e disse que prendeu seis ladrões em flagrante e identificou outros quatro. A polícia diz que está investigando a participação de estrangeiros nos crimes. Na maioria dos ataques, quem abriu caminho para os assaltantes foram jovens orientais. Por isso, os criminosos costumam passar sem dificuldades pelas portarias.”  
(Fonte: http:// g1.globo.com//, de 22/01/15).

Nos últimos meses, essa modalidade de delito e modus operandi dos bandidos tem crescido na cidade de São Paulo, inclusive com jovens orientais como maiores agentes desses assaltos. Observando os fatos, percebe-se que, mais uma vez, os ladrões se aproveitam da fragilidade do sistema de controle de acesso dos prédios para cometerem seus delitos e invadirem os condomínios. Dentro do edifício, eles arrombam os apartamentos, e cometem os crimes, levando dinheiro, joias, dólares, celulares e até veículos, sendo que, na grande maioria, se aproveitam da ausência dos moradores e empregados. Através disto, constatamos, mais uma vez, a ingenuidade e falta de preparo técnico do colaborador  que não confirma a identidade das pessoas que querem entrar no condomínio, a veracidade das informações e se esses indivíduos são realmente moradores do local. Visto tudo isto, concluímos que não podemos esquecer de manter cadastro atualizado de todos moradores bem como de seus familiares e empregados, a fim de facilitar o trabalho da portaria e aumentar a segurança do condomínio, além de que os prédios devem possuir sistemas de controle de acesso informatizados e, de preferência, com fotos de todas pessoas que entram no condomínio. Para tanto, há a necessidade de que os empregados de portaria sejam treinados e preparados para identificar situações suspeitas que causam dúvidas no momento de controle de acesso, a fim de evitar que sejam enganados pela aparência de sujeitos que se passam por condôminos, seus parentes, visitas ou mesmo colaboradores.
E por fim, os moradores devem estar conscientes sobre a importância em se seguir as regras e normas de segurança do condomínio, colaborando e fazendo com que outros envolvidos no convívio do prédio também as cumpram. Tudo para o bem-estar e proteção de todos.  

José Elias de Godoy
Especialista de Segurança em
Condomínios e autor dos livros
“Manual de Segurança em
Condomínios’’ e “Técnicas de
Segurança em Condomínios”.
elias@suat.com.br


  Untitled Document





Untitled Document

Jornal Sindico News - Editora Santa Luiza Ltda.
Tel: 11 5573-0333 - São Paulo - contato@sindiconews.com.br
© COPYRIGHT 2012 - Todos os direitos reservados
 
1181800 visitas
 
Desenvolvido por